Tarde no Cinema – Não sabemos explicar


Olá a todos. Para marcar a volta de minhas publicações, resolvi escrever sobre um assunto simples mas que interessa há muita gente… Filmes. E, como não poderia deixar de ser, o Tarde no Cinema está de volta, onde farei minha analise sobre o ultimo filme que tive a oportunidade de assistir na tela grande.

Para quem me conhece (uma quantia infima de pessoas), sabe que minhas férias de férias não estão tendo nada, então tempo pra ir ao cinema é o que menos possuo. – Mas, volta e meia, eu dou uma fugida com minha namorada pra curtir um filme. E a ecolha de hoje foi um filme bastante interessante e que há algum tempo chamava minha atenção, principalmente pelo seu estilo, de que sou fã. Seu nome? The Devil Inside (A Filha do Mal, no Brasil).

Poster

A historia do filme gira em torno da jovem Isabella Rossi, que teve sua infancia marcada por um acontecimento nada normal. Quando tinha por volta de oito anos, sua mãe foi acusada de um assassinato triplo, envolvendo pessoas do clero local. Inocentada por “incapacidade mental”, Maria Rossi (mãe da protagonista) é enviada à um Asilo (hospício) em Roma onde fica internada. 20 anos depois, a jovem Isabella decide visitar sua mãe para saber se é possível que desenvolva o mesmo problema e investigar o real acontecimento, após saber que os assassinatos haviam ocorrido durante um exorcismo, o exorcismo de sua mãe. Então, junto de um amigo cineasta, decide viajar até Roma e reencontrar sua mãe, aproveitando para produzir um documentário. No caminho, Isabella passa a frequentar um curso de exorcistas, onde conhece dois padres,  Ben Rawlings e David Keane (Simon Quarterman e Evan Helmuth, respectivamente), que a envolvem em casos de exorcismo feitos sem o consentimento da Igreja.

Maria Rossi

"isso também acontece na superfície de Marte, sabiam?"

Seguindo a moda da atualidade, o filme é todo construido no formato documentário. Logo presenciamos durante o mesmo as personagens tratando diretamente com as cameras (em especial Michael, o cineasta, que é responsavel por 80% das filmagens). Ainda nesse estilo, o filme nos apresenta não so o que acontece durante a investigação de Isabella como também depoimentos das personagens, descrevendo como vai o estado de espirito de cada um. A ideia, que obviamente é percebida, é fazer soar como um documentário que foi recuperado – Mais um filho d’A Bruxa de Blair.

Um ponto interessante a ser citado são as falas das personagens. Embora não tenham lá tanta profundidade, algumas certamente marcam. Um exemplo é quando um dos exorcistas diz à Isabella:  “Como padre, eu já tive contato mais vezes com os demônios do que com Deus. Isso não é certo. Não deveria ser assim”. Interessante, não acham? Eu achei o/.

No quesito criatividade, o filme peca por cair apenas em “mais do mesmo”. Embora seja interessante e instigante ao ponto de deixar quem assiste o filme à espera do que vai acontecer em seguida, não traz nenhuma inovação ao estilo, já demasiadamente utilizado em filmes como REC e Paranormal Activity. A historia é no minimo interessante e a relação criada com o mundo do exorcismo na Igreja Católica chama atenção de quem assiste pelo fato de ser algo que todos já ouviram falar mas que nunca presenciaram ou tiveram contato. Mas isso só não é o suficiente para tornar o filme bom. Ainda assim, o filme teve um sucesso no exterior, no minimo, interessante.

Possuida

Acho que deve doer... Ou não, sei lah...

Contando com o orçamento ínfimo de U$1.000.000,00 (1 milhão, redondinho), uma quantia pequena até para o cinema nacional, o filme conseguiu a incrível marca de U$53.000.000,00 de arrecadação. Obviamente é um valor pequeno se comparado com as maiores bilheterias já registradas, mas são poucos os filmes que conseguem arrecadar 53 vezes o seu custo de produção. O motivo de tamanha multiplicação nos números? Simples. Mesmo que o resultado final tenha decepcionado, a ideia por trás do filme foi interessante e chamou muito a atenção dos cinéfilos de plantão (olha eu ai). Misturar historias de exorcismo, segredos do Vaticano e padres rebeldes sempre consegue ser algo interessante. Além disso, sempre vale a pena citar a presença de exorcistas nesse tipo de filme, os super-heróis da Igreja, como são mostrados. Será que a ideia de que eles vivem em uma guerra constante realmente chama tanta atenção assim? O que você acha disso, Constantine?

Depois de tudo, dá pra perceber que mesmo tendo uma ideia interessante, The Devil Inside não passa de mais um filme que segue a “receita de bolo” d’A Bruxa de Blair. Ou seja, um filme barato mas que arrecada muito para os produtores. Filmes como esse já se tornaram padrão no mercado (não por serem bons, mas por serem simples e rentaveis) e The Devil Inside apenas é a continuação de um padrão.

Se você gosta do estilo e não está preocupado realmente com o nível do filme, assista e tire suas próprias conclusões. Garanto que você vai ter bastante material para conversas depois do filme. Agora se você for uma pessoa que gosta de filmes bons, de alto nível (ou de médio mesmo), recomendo assistir alguma outra coisa. Você estará investindo melhor o seu dinheiro.

Anúncios

Sobre Wladimir Araújo Neto

Developer, writer, negative atheist, fascinated by coffee and in love with computing. Podcaster at TambaCast and a New Orleans Saints fan. Desenvolvedor, escritor, ateu negativo, fascinado por café e apaixonado por computação. Podcaster no Tambacast e torcedor do New Orleans Saints.

Publicado em 07/02/2012, em Filmes. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: